A criatividade dos fotógrafos de pênis

Há quem veja graça na anatomia do pênis. O troféu masculino, tão reverenciado, é protagonista de piadas, charges, memes, etc. Geralmente, as criações cômicas exaltam o pau, ao contrário do que acontece com a vagina, que é costumeiramente depreciada.

Um dos caminhos da irreverência é retratar o órgão genital masculino como um amigão, companheiro de aventuras e como um “bichinho” de estimação, fofinho.

Isso fica evidente com a viralização do Tumblr Things My Dick Does, que depois da censura mais rígida à plataforma, está ativo no Twitter, @TMDickDoes.

Desde 2015, um artista de São Francisco fotografa em preto e branco seu “little dude” (amiguinho) e insere graficamente olhinhos, boca, bracinhos e até uma pequena cartola nele. O resultado é um diário engraçadinho, mostrando o “personagem” em situações cotidianas, sexuais ou não.

Já a fotógrafa Soraya Doolbaz, de Nova York, elevou a caracterização peniana a um nível artístico profissional. Ela pega bonecas e figuras de ação e usa os figurinos nos paus dos homens que se oferecem como modelos. Ela já vestiu pintos de Fidel Castro, Michael Jackson, Kanye West e Donald Trump, entre outras personalidades.

 

Trump
Crédito da foto Pinterest

 

A representação pictórica da genitália masculina, acredita-se, começou no século 6 ou 5 a.C. Na Grécia Antiga, o pênis pequeno, não ereto, era reverenciado nas esculturas de mármore. Esteticamente, os bem-dotados eram considerados grotescos.

Uma apresentação mais humorística do pênis na arte pode ter surgido na Idade Média, quando foram feitos desenhos e pinturas de árvores carregadas de falos como frutos. Mas não é um consenso, há especialistas em arte que sugerem que essa era uma representação negativa relacionada à perversão sexual e à bruxaria.

 

Aviso
Esté é um blog sobre sexo. Se você tem menos de 18 anos ou considera o conteúdo inapropriado para você, clique aqui.