O que entra na sua transa, além de corpos excitados?

Por carmen

Pedi a vocês opiniões e experiências com brinquedos e acessórios sexuais. O que entra na sua transa, além de corpos excitados?

Recebi um e-mail do Juca, que tem 53 anos e uma namorada, a Cris, também na casa dos 50 anos. Eles estão juntos há seis anos , depois de acumularem relacionamentos bem e mal-sucedidos, e resolveram ter uma vida sexual mais liberal juntos.

Também chegou até mim a confissão do Marco, que para tirar a monotonia do casamento, comprou um dildo para mulher e se surpreendeu.

Vamos aos relatos:

 

Crédito da foto: suckmypixxxel.tumblr.com

 

A desconstrução da sex shop cafona

“Quando começamos a nos relacionar, cada um de nós tinha consciência de que sexualmente não havíamos explorado pra valer as muitas possibilidades eróticas, por estarmos presos à convenções, por temer o ridículo, o julgamento dos parceiros, o nosso próprio. E possivelmente por temer o lugar para onde a queda de barreiras poderia nos levar.

Por pacto, passamos a percorrer um caminho de liberação que faz com que nosso tesão e cumplicidade só aumentem e que estes anos sejam os  mais interessantes de nossas vidas sexualmente falando.

Começamos com algo que pode parecer simples: uma lingerie sexy de presente para ela. Eu nunca tinha dado uma de presente a alguém, ela nunca havia ganhado.  Jantares escancaradamente românticos, sair pra dançar, dançar em casa antes de transar, marcar encontros em bares e outros lugares públicos antes de irmos pra casa. Tivemos outras experiências: transar em lugares diferentes, às vezes com um de perigo de sermos flagrados – ao ar livre, no carro e também perto de janelas em São Paulo, nossa preferência! Passamos a falar das nossas experiências sexuais, juntos ou antes de nos conhecermos. Passamos a falar das fantasias de um para o outro e a criar fantasias juntos.

Ao mesmo tempo em que isso ocorria, fomos nos abrindo e ganhando liberdade de explorar os corpos, um do outro e os nossos próprios, tornando o sexo cada vez mais gostoso. Esse caminho passou (e ainda passa, às vezes) pela sex shop. O resultado dessa experiência foi legal e contribuiu para chegarmos a outras, mais intensas depois. De cara, precisamos superar um preconceito, pois o ambiente dessas lojas definitivamente não é estimulante para nós. Há umas fantasias e acessórios que, pelo exagero e pelo kitsch, nos parecem mais brochantes do que estimulantes. Mas na segunda tentativa fomos atendidos pela dona de uma loja, uma pessoa divertida que soube nos deixar à vontade e falar das possibilidades dos produtos.

Um item interessante é um gel, que além de lubrificante é anestésico. Torna o sexo anal mais prazeroso, tira a dor, não o tesão. Dá também um formigamento suave. Tem gosto e cheiro de fruta – se isso é problema para alguém, parece que também existe sem cheiro.

Mas o item que mais nos provocou foi mesmo o dildo, ou consolo, pênis de borracha, tem vários nomes. Bem, compramos um e começamos a usá-lo, tornando mais real a fantasia do sexo a três, simulando as situações. Aí não teve jeito: acabamos depois realizando de verdade, o que pode ser tema para outra conversa!”

Um dildo para dois

“Estou há uma década com a mesma mulher, há uns 5 anos, a coisa começou a ficar muito monótona, então decidi comprar um pênis realístico para que criarmos algo novo.

Um dia, após ela não querer chupar meu pau, eu pedi para ela chupar o de borracha. Foi aí que tudo mudou. Ela ficava deitada ao meu lado esquerdo, minha mão esquerda ficava acariciando sua bunda e a mão direita apalpando seus seios e ela fazia caras e bocas chupando e engolindo aquele pênis de borracha bem perto do meu rosto, toda aquela cena me deixava louco e eu logo gozava.

Em uma dessas situações, ela passou o pênis pela minha boca e eu quase enlouqueci, eu e ela começamos a passar as línguas pela cabeça daquele dildo delicioso e ficamos assim algumas muitas vezes. Com o passar do tempo, apenas dividir a lambida já não me satisfazia, sendo assim, um dia o coloquei inteiro na minha boca, e ela empurrava e puxava repetidamente até eu gozar. A melhor de todas as situações é quando ela o coloca entre seus seios e eu me divirto escolhendo o que lamber, beijar, engolir.

Hoje já passamos para o segundo estágio, a cinta peniana, mas isso ficará para um outro dia.”

Quero mais relatos! Mande para carmenfaladesexo@gmail.com