A trajetória de experimentação e prazer de cada um

Por carmen

Ao ouvir e ler tantas histórias sexuais, eu me pergunto como funciona, na cabeça e no corpo de cada um, o rompimento, em geral gradativo, dos limites da experimentação e do prazer.

Porque no curso natural da vida sexual, você não começa fazendo de tudo na cama. Você vai testando, quebrando tabus e vencendo barreiras do desconhecido. É assim desde o primeiro beijo e da primeira masturbação.

Cada um tem uma trajetória muito particular e única. Eu, por exemplo, experimentei algumas práticas, mas não me tornei adepta. Outras, incorporei à minha vida sexual. Tem ainda aquelas em que tenho curiosidade, mas ainda não criei a chance  de tentar. E tem as que simplesmente não me atraem – pelo menos, por enquanto.

Conversei com uma moça adepta da troca de casais, do sexo em grupo, da dupla penetração, tudo ao mesmo tempo. Ela conta com a naturalidade com que eu faço um papai-e-mamãe.

Qual teria sido o caminho dela até chegar a esse momento, em que participa de festinhas com conhecidos de longa data, não sente dor ou dificuldade na penetração anal, não se incomoda de ver o namorado com três mulheres ao mesmo tempo?

Bem, vou deixar minhas reflexões e contar a história dela:

 

Crédito da foto: suckmypixxxel.tumblr.com

 

“Adoro swing. Sempre que posso aproveito as oportunidades, me divertindo com amigos e amigas, curtindo os momentos bons que a vida me reserva.

Naquele dia, a nossa festinha já estava rolando desde o início da tarde, quando a diversão tinha começado, depois da praia. Éramos quatro casais, todos amigos e que se conheciam há algum tempo. Nos dávamos super bem!

A casa, que ficava numa praia reservada e tranquila, estava toda pronta para receber os convidados. O casal anfitrião sempre caprichava, deixando os ambientes aconchegantes para as nossas brincadeirinhas. Todos estavam na sala, que tinha o estilo loft, com seu enorme espaço preenchido por tapetes e almofadas confortáveis, que ajudavam muito na hora da diversão. Eu amo ficar assim, num ambiente único, vendo e sendo vista. Me excita. Naquele dia não foi diferente.

Eu estava ali, de quatro no tapete enorme, chupando um amigo que estava em pé na minha frente. De repente, os outros dois amigos me cercaram, oferecendo as suas rolas duras. Não pensei duas vezes, caí em cima, me revezando nas chupadas naqueles três homens. Estava adorando! Experientes, eles trocavam de posição de vez em quando, passando a lamber meu corpo inteiro. Olhei para o outro lado da sala e vi que meu namorado estava sendo devorado pelas três amigas e pela sua cara estava amando.

Depois de muitas chupadas e lambidas, puxei os amigos para o quarto. Aquilo era o que eles queriam. Eles já me conheciam, sabiam que eu era gulosa e que queria pegar os três ao mesmo tempo. Fomos pra cama, onde continuei a chupar aquelas picas, que estavam cada vez mais duras e babadas. Eles continuavam a me chupar inteira. Pedi pra eles colocarem as suas proteções, o que fizeram rapidinho. Um dos amigos deitou na cama. Acho que ele esperava que eu sentasse de frente, mas não foi isso que fiz! Sentei sim, mas de costas para o cara, enfiando devagar a sua rola no meu cuzinho. Sentadinha assim, chamei meus outros dois ficantes pra participar da diversão. Um deles veio pela frente, encaixando seu pau na minha xoxota e começando a enfiar gostoso.

Os dois me penetravam, no começo devagar, depois forte, do jeito que eu gosto. Claro que a essa altura o outro amigo já tinha me oferecido seu pau, que eu tratava com chupadas safadas e molhadas. Ai….como gosto disso, pensei feliz da vida! Nossa tarde tinha sido perfeita.”

Mande suas opiniões sobre sexo pra gente conversar! Sempre rende um bom papo! O e-mail é carmenfaladesexo@gmail.com