A geografia do gozo

Por carmen

 

Crédito da foto suckmypixxxel.tumblr.com

 

Não sei se já comentei aqui, mas meu orgasmo muitas vezes chega bem na hora que sinto meu amante ejacular dentro de mim. Tanto a sensação quanto a simbologia de ele “encher minha buceta de porra” aceleram o meu prazer.

Estava pensando que nos relatos eróticos aqui, em sites de contos, e também na pornografia, o gozar na cara ou gozar na boca costumam ser apresentados como as maneiras mais sacanas, safadas, preferidas da galera, independentemente de quem está opinando, o “ser gozador” ou o “ser gozado”.

Olha, faço parte do time que não se importa do parceiro ejacular na minha boca, com tanto que seja alguém com quem eu tenha intimidade e sentimento. Adoro fazer oral e acho meio anticlímax parar de chupar no melhor momento. Mas compreendo e respeito quem não curta. Ninguém é obrigado a gostar de esperma desse modo.

Por ordem, penetração é minha forma preferida de gozar e ser gozada. “Do lado de fora do corpo”, digamos assim, minha ordem de preferência é: bunda, peitos, boca. Na barriga e pernas, não vejo graça, enxergo apenas como partes onde é comum acontecer o fim de um coito interrompido. Agora, no rosto, confesso que acho chato. Nunca encontrei um cara que curtisse, então, não vivi esse descompasso na cama. E você? Em que parte do corpo gosta jorrar ou receber os fluidos do seu par?

Mande sua opinião e suas histórias para carmenfaladesexo@gmail.com