Vibradores podem ser tão bons quanto amantes

Por carmen

 

Crédito da foto suckmypixxxel.tumblr.com
Crédito da foto suckmypixxxel.tumblr.com

 

A declaração controversa do título é da Grace, uma leitora que já nos presenteou recentemente com um relato delicioso de sexo a três.

Ela me escreveu comentando o post sobre como lidar com a seca que, inclusive, rendeu várias confissões inbox em madrugadas solitárias, algumas provocantes, outras reveladores, como o da Grace.

“Li faz algumas horas seu texto sobre enfrentar a seca sexual e, desde então, não consigo tirar da cabeça a parte do relato da leitora no qual ela diz que não tem coragem de comprar brinquedos sexuais.

Juro que fiquei um pouco chocada e pensando muito a respeito. Acredito que há um certo viés machista nisso tudo, no qual mulher não pode ir atrás de seu próprio prazer e apenas um macho é capaz de proporcionar-lhe uma explosão de orgasmos.

O que quero dizer é: masturbação feminina ainda é um enorme de um tabu. Enquanto garotos falam com orgulho que batem punheta, mulheres raramente têm essa liberdade e quando admitem, o mundo quase que condena.

Comprei meu primeiro vibrador três anos atrás, quando meu então noivo terminou comigo. Fiquei naquela fossa por umas duas semanas, na terceira, liguei para uma amiga perguntando se ela iria comigo a um sex shop e foi ali que comprei o Billy (assim que o chamava) um vibrador tipo rabbit pra buceta e pro clitóris.

Foi amor a primeiro orgasmo, o Billy fazia em três minutos o mesmo serviço que um homem faria em meia hora. O Billy me acompanhou em várias noites solitárias (mas nem um pouco infelizes) por esse tempo, até que seu motor decidiu dizer adeus no mês passado.

Juro que quase chorei com a morte do meu amante vibratório. Mas, da mesma maneira que foi com meu ex, fiquei na fossa por umas duas semanas, na terceira entrei na internet e comprei um novo. Da mesma maneira que os homens, vibradores também vêm e vão, e essa é a beleza disso tudo”.

Uma experiência menos feminista, mas igualmente libertária, é a da Laura, que me confidenciou ter comprado um vibrador a pedido do amante. Ela conta que sozinha em seus lençóis, não usa o apetrecho. Ele aparece apenas para apimentar a cama com esse cara com quem ela transa. Apesar da ideia não ter sido dela, Laura se diverte e goza do mesmo jeito. Tá super valendo!

Quero mais confissões safadas no meu e-mail: carmenfaladesexo@gmail.com