O fetiche feminino de ver dois homens em ação

Por carmen

É sabido que muitos homens heterossexuais latinos compartilham o clássico desejo de ver duas mulheres se pegando.

Machismo (aspecto cultural) à parte ou não, pouco se fala, mas o contrário também existe: mulheres que gostam de ver dois homens transando.

Mais do que imagens ou vídeos, muitas de nós gostamos de participar de ménages onde os caras se comem gostoso, além de treparem conosco, é claro.

Uma colega de faculdade, no passado, me confidenciou que adorava chupar o namorado, enquanto ele dava a bunda pra outro cara. “Era muito tesão, o pau dele ficava uma rocha e bem melado”.

E aí recebi recentemente o e-mail da Grace, que relata uma transa que, segundo ela, “extrapolou a sexualidade além das minhas preferências”.

 

Crédito da foto suckmypixxxel.tumblr.com
Crédito da foto suckmypixxxel.tumblr.com

 

“Moro há um tempo na Alemanha, sou daquelas mulheres que faz questão de realizar todas as suas fantasias, ao mesmo tempo em que não ligo em ficar meses sem transar. Divido apartamento com um colega de trabalho, que não só é meu melhor amigo como também minha alma gêmea gay. Todos dizem que nossa sintonia é incrível, um Will e Grace moderno, ao mesmo tempo em que sempre deixamos todos chocados com nossos papos, experiências e opiniões.

No fim de semana passado, ‘Will’ e eu fomos para Hamburgo. Ele morou lá por uns tempos e queria rever uns amigos, enquanto que eu só queria curtir a cidade.

No sábado à noite, fomos ao aniversário do seu ex-namorado. Eu estava meio cansada, porém, quando chegamos lá, vi que a festa estava cheia de pessoas lindas e diversas, héteros, gays, bis, trans, tinha gosto para tudo e para todos. Meus pés, totalmente torpes depois da maratona turística do dia decidiram parar de doer na hora para permitir curtir a festa como deveria.

Will e eu fomos direto à cozinha e nos arrumamos uma garrafa de champagne. Depois mais uma, e mais uma. Lá estava Jack, um sueco lindo, olhos claros e cabelos negros, barba por fazer. Ficou olhando para nós com o rabo dos olhos. Em quem ele estaria interessado? Eu, que não tenho papas na língua, fui perguntar. ‘Na verdade, nos dois. Se tiverem a fim, eu moro no prédio ali na frente’, assim, na lata.

Virou-se e foi para a sala, sem dizer mais nada. Olhei pro Will e fiquei receosa com o que ele diria. Eu já havia feito sexo com dois homens ao mesmo tempo, mas, na ocasião, eles não se tocaram nenhuma vez e eu tinha uma vontade enorme de ver dois machos se pegando e se comendo. Vi em seus olhos a mesma excitação que sentia dentro de mim. Fazia bastante tempo que nenhum de nós via uma piroca e aquilo poderia ser interessante. Will só me ditou uma regra: não queria saber da minha buceta, afinal isso não é com ele. Combinamos então que não nos tocaríamos e focaríamos toda a atenção no nosso alvo. Fomos atrás de Jack, que já nos esperava na porta com um sorrisinho de ‘eu sabia que vocês topariam’.

Caminhamos até o apartamento dele, conversando e rindo. Entrando lá, começou a putaria: Jack tomou iniciativa, ora beijava um, ora beijava outro. Foi puxando a gente para o quarto, deitou-se na cama e abriu a braguilha da calça. Que pau lindo que aquele sueco tinha! Will e eu caímos de boca nele. Eu, que nunca tinha visto ao vivo um macho chupar outro macho (e descobri que Will também nunca havia visto o contrário), fiquei extremamente excitada ao vê-lo engolindo aquela rola enquanto eu chupava as bolas.

Jack ditava o ritmo, sabia o que queria e o que tinha a nos oferecer. Abriu a segunda gaveta do seu criado-mudo e tirou de lá um tubo de lubrificante e um consolo de vidro. Virou-se de bruços e disse a Will: ‘estou pronto pra você, seu gostoso’ ao mesmo tempo que me puxou pela anca para perto da sua boca ‘e você vem cá’. Jack passou a me penetrar com o consolo e a chupar minha buceta como poucos já fizeram, ao mesmo tempo em que Will o fodia com vontade.

Como ele conseguia se concentrar em tudo isso ao mesmo tempo era um mistério para mim. Eu não acreditava na loucura que estava vivendo, não sei o que me dava mais tesão naquela situação toda, estar recebendo uma das melhores chupadas da minha vida, a cara de prazer do Will enquanto via seu pau entrando e saindo daquela bunda ou finalmente estar realizando a minha fantasia de transar a três e ver dois caras em ação.

Gozamos quase que ao mesmo tempo, já é tão difícil isso acontecer com duas pessoas, imagine com três! Nos vestimos, Jack perguntou se voltaríamos à festa, mas estávamos demasiado cansados.

Nos despedimos com um beijo triplo, Will e eu voltamos ao hotel de mãos dadas, ainda surpresos com o que havia acontecido, mas extremamente convictos de que nossa parceria vai além de apenas uma amizade”.

Tenho desejo, vontade, tesão por mais histórias! Sacie essa blogueira escrevendo para o carmenfaladesexo@gmail.com