Orgasmos múltiplos ao som de Led Zeppelin

Por carmen

A Ana me deixou babando com sua história de “sexo e a cidade”.

Tudo começou com uma provocação minha, quando escrevi sobre as fotos do livro “Fucking New York”. Finalizei o post com um Me conta a sua história de sexo e a cidade (qualquer cidade)?” 

 O que chegou é o texto delicinha a seguir. A autora fala pouco da cidade-cenário, Curitiba, mas, em compensação, capricha ao descrever as aventuras viveu por lá.

 

Crédito da foto suckmypixxxel.tumblr.com
Crédito da foto suckmypixxxel.tumblr.com

 

“Minha história de sexo é com Curitiba. Pra mim, é difícil ir pra lá e não ter sexo na cabeça.

Como assim?

Tudo começou num reencontro com um ex-namorado, muito tempo depois do desencontro.

Cada um num lugar, cada um com sua vida, mas sabe aquela parte que ficou parada lá trás e nunca esquecida? Pois é. Ela agora vem sendo escrita periodicamente em Curitiba.

A gente se encontra, nunca por mais do que algumas horas, às vezes com uma noite no meio. E nessas horas, o sexo é intenso, o papo é ótimo e a intimidade, o melhor de tudo.

Estamos maduros pra deixar nossas reservas de lado, pra valorizarmos uma boa trepada (nunca é uma só). O beijo, ah, o beijo dele ainda (ou de novo) faz minhas pernas amolecerem e já começo a me molhar. Aí, ele tira minha roupa, me diz que tô linda, me deita na cama, de calcinha ainda.

Ele me olha, olha entre minhas pernas, cheira, beija, mordisca.Tira a calcinha de lado e eu já estou arqueada, esperando, sentindo, curtindo…

Então, vem o primeiro beijo ali embaixo, e mais um ‘linda’, seguido por um ‘gostosa’; uma passada de língua, um apertão, um dedo, a primeira chupada que me desperta sensações deliciosas. Tira a minha calcinha me olhando tão intensamente que só quero que me coma logo, mas ainda não é hora. Abre as minhas pernas, se ajoelha diante da minha bucetinha e começa a chupá-la. Nossa, é intenso! Nada passa despercebido daquela boca, língua e dedos, nada! Sinto a boca úmida, os lábios me chupando inteira, completamente. Ele quer o meu primeiro gozo, pede pra eu dar isso para ele e o orgasmo vem rápido, na boca dele, e ele colhe todo!

Mais tarde, me pede pra sentar sobre sua boca, o que faço na hora, me agarrando na parede nua pra não sucumbir à tontura de tanto tesão. Fico subindo e descendo no espaço entre a boca e o nariz dele, esfregando meu sexo nele, lambuzando tudo. O cheiro já é intenso e eu adoro. Minhas entranhas se contraem de tanto desejo de sentir o pau dele me preenchendo, mas ainda não é hora. Em poucos minutos, um novo gozo me percorre e meu corpo todo reage querendo que ele me foda.

Antes minha vontade é também chupá-lo, sugá-lo, sentir o pau dele na minha boca; peço, quase imploro, ele não quer parar. Insisto, desço lentamente até tocar naquele membro duro, delicioso, rosado, suave; só consigo dizer que senti saudades antes de abocanhar, chupar, beijar aquele pau, sentir uma linha fina do líquido viscoso que insiste em sair. O gosto dele me inebria, me energiza, quero. Ele ergue meu cabelo e eu adoro quando ele me olha assim, com o pau todo na boca, fico hipnotizada pelo olhar de prazer dele…

Ele então me vira, deita sobre mim e começa a me penetrar. A única coisa que me vem à mente é que esse é o único lugar em que eu queria estar naquele momento, sendo fodida por ele. Ergue minhas pernas, colocando-as sobre seu peito e inicia a melhor dança do mundo, entrando e saindo de mim, inicialmente com mais calma, mas com o ritmo aumentando, tal qual a música do Led tocando: ‘I’m going around the world, I got to find my girl, on my way’.

Às vezes, não entendo de onde ele tira tanto controle sobre o gozo, pois nesse instante eu não consigo segurar uma nova e deliciosa onda que me percorre, me entrego num novo turbilhão de sensações, percebendo completamente ele me preencher toda. Sinto-o me tocando em todos os milímetros, sinto o calor daquele pau, quero abraçá-lo dentro de mim, aperto instintivamente, prendo dentro de mim; um orgasmo alucinante, minha cabeça gira e ele continua me fodendo.

Essa dança deliciosa ainda continua, ele pede então pra eu ficar quietinha debaixo dele, eu obedeço. Fico só sentindo, ouvindo, cheirando. Palavras desconexas são ditas, desejos revelados, quando a intensidade do movimento aumenta ainda mais: ele vai gozar.

Quero aquele gozo na minha boca, quero sentir tudo, saio de dentro dele quase com dor, mas abocanho aquele pau e sinto-o jorrar nos meus lábios e língua, chego a soltar um suspiro. Ele estremece, como em pequenos choques, vai descarregando toda energia. Sinto-me absolutamente poderosa. A velocidade muda, minha boca agora beija, lambe, passeia, volta; ele treme. Acho lindo o gozo dele, é intenso demais e é meu.

Ele se deita, silenciosamente, me deito no peito dele, e ficamos assim um tempo, os batimentos se acalmando, a respiração mais sossegada, e o prazer, ah, o prazer nos relaxando, ouvindo agora Kiss: ‘But baby I like best the road that leads to you’.

E depois? Ah, depois começa outra história deliciosa…em Curitiba.”

O desafio continua, me conte uma história que envolva sexo e uma cidade. 😉 Estou esperando no carmenfaladesexo@gmail.com