A descoberta da pornografia aos 40 anos

Por carmen

 

banhoadois
Crédito da foto suckmypixxxel.tumblr.com

 

“Até os 40 anos, eu nunca tinha assistido a um filme pornô. É comum as coisas acontecerem tarde na minha vida. Nesse caso, também porque na era pré-internet, o acesso era difícil, algo totalmente fora do meu radar. Depois, simplesmente nunca tive curiosidade, interesse. Minha imaginação bastava. Nem mesmo contos eróticos eu procurava.

Foi do nada. Estava à noite em casa – moro sozinha –, em um daqueles dias que se está com vontade. Entrei no Google e comecei por buscas bem genéricas: “site de sexo” e “melhor sexo” foram algumas. Fiquei impressionada com a quantidade de resultados. Fui entrando e escolhendo vídeos aleatórios. Logo descobri do que não gostava: pau muito grande e grosso, sexo sujo, homem muito fortão, duas mulheres…

Acabei assistindo a muitos vídeos daquelas ninfetas falsas, porque curto o lance da sedução, da conquista. Mas mesmo assim, é tudo muito fake, banal.

Comecei a entrar ocasionalmente. Não viciei, mas uma vez fiquei impressionada por ter passado 45 minutos vendo pornografia sem parar. A primeira busca por tema que fiz no Google resultou no vídeo que virou meu preferido, que assisto repetidamente desde então.

Escrevi “sexo no banho”, que é algo que eu adoro e fiz com os parceiros que tive. Encontrei um vídeo que está classificado pelas tags “pornô para mulheres” e “sexo romântico”. Porque é isso, admito, eu prefiro uma história mais melosa. Esse vídeo tem um contexto de romantismo e cotidiano, paisagem e cenário bonitos, atores que parecem pessoas normais e não aberrações. Tem preliminares, muito beijo na boca. Não é perfeito: eu pulo a parte do sexo oral no cara e vou direto pra parte em que ele a chupa, porque gosto mais. Ah, e vejo sem som, porque ela exagera  muito nos gritos e gemidos.

Para quem ficou curioso, tá aqui o vídeo.”

Minha amiga Carolina me contou sua história na mesa de um bar da Vila Madalena numa noite de terça-feira. Tinha de virar post, né?

E você, tem algum relato erótico para compartilhar conosco? Manda pro carmenfaladesexo@gmail.com!