Menu de fetiches: o número 2

Por carmen

Comecei a narrar aqui a história de dois colegas de trabalho que começaram uma correspondência de sedução. A cada “enviar”, a conversa esquentava. Ao perceber que não tinha pegado pesado demais com sua primeira revelação de fetiche, o carinha detalhou uma segunda fantasia que alimentava realizar (ou não – nunca se sabe, né?) com minha amiga Melissa.

 

androgenia
Crédito da foto suckmypixxxel.tumblr.com

“Eu me monto para ti.
Meias 7/8, lingerie de renda branca, cinta-liga, vestido preto, salto alto.
Serei eu a tua fêmea. Seremos duas lésbicas.
Você levanta a minha saia, e enche a mão na minha bunda. Aperta, estapeia, me deixa a carne vermelha.
Eu sou tua escrava, me ajoelho e te chupo até o gozo”.

Melissa, que nunca tinha imaginado se excitar com crossdressing, pirou. Claro que passou pela cabeça se ele estava, com aquele fetiche, se revelando bissexual, mas resolveu não rotular o desejo dele nem o próprio. Amou a ideia e já ia responder que era esse o fetiche preferido dela, quando chegou um terceiro e-mail…