Book Rosa

Por xdesexo

Por Diana

 

Você é uma mulher bonita, inteligente, interessante, que adora sexo casual e não tem inibições. Você também gosta de conforto, de homens e mulheres sofisdicadXs, de um bom vinho, obras de arte e jóias. Você costuma procurar encontros em sites para casais abertos e é convidada para festinhas pornográficas, onde dá à vontade e chupa quem tem apetece.

 

Um dia você está sem trabalho, sem grana para curtir os luxos que te agradam, e cheia de convites de homens, mulheres e casais que querem pagar o seu jantar e te comer depois. Você pretende transar com eles de toda forma. E então você se pergunta: já que eles querem pagar as despesas, que diferença faz se eu cobrar também pelo sexo?

 

Tecnicamente, isso te transformaria em uma prostituta.

 

crédito: www.suckmypixxxel.tumblr.com
crédito: www.suckmypixxxel.tumblr.com

 

Você me contou tudo isso recentemente e perguntou o que eu acho. Sinceramente, não achei nada demais. Será que receber uma grana depois muda mesmo toda a equação?

 

Pausa para dizer o óbvio: certamente uma coisa é ser uma “escort” de luxo que escolhe cobrar de vez em quando, e outra muito diferente é cair na prostituição por falta de alternativas ou por meio de violência. Nem vou entrar nessa questão – Se alguem aí está comparando as duas coisas, está lendo o blog errado.

 

Também é ululante que não estou fazendo apologia da coisa, nem pretendendo monetizar o sexo. Fundamentalmente, sexo para mim é questão de prazer, de escolha e de poder. E desde que esses fatores sejam respeitados, se você quer cobrar um jantar, um orgasmo ou R$2,000, é problema seu.

 

Eu particularmente prefiro não cobrar nada. Estar ali e curtir o corpo do outro é mais do que suficiente. Mas não sei se a moeda tira o seu poder de decisão e, assim, “rebaixa” de alguma forma a trepada.

 

Juro, tentei me chocar com a idéia, mas não consegui. Talvez por ignorância, por que não estou contabilizando todos os riscos. OK. Mas você deixou claro que a escolha era inteiramente sua, que seria algo ocasional, e que você acreditava saber o suficiente sobre os potenciais “clientes” para estar segura. Me pergunto: a sua trepada seria menos honesta e verdadeira do que a minha?

 

Você vai ter que abrir as pernas para estranhos. Mas convenhamos, volta e meia eu faço isso também e adoro.

 

Talvez você se arrependa. Também já me arrependi de um monte de noitadas, e nenhuma delas envolveu dinheiro.

 

Talvez se sinta humilhada. Isso já me aconteceu também – e não teve nada a ver com a questão financeira.

 

Talvez você não goze. Quem nunca?

 

Te pergunto: virar puta de fim de semana é diferente de pagar por uma puta de vez em quando? Nossos muitos amigos que pagam por sexo também estão colocando dinheiro no meio do prazer. Por que os veríamos de forma diferente de quem está do outro lado?

 

Agora, odeio dizer isso, mas você vai ter que considerar a sua reputação. Querida, veja bem: eu não quero que as pessoas saibam que eu escrevo para um blog de sexo. Imagina se soubessem que você virou puta?  Sim, isso pode afetar seus relacionamentos presentes e futuros, assim como sua vida profissional. A gente não é careta, mas nosso patrão é.

 

Não sei, mas acho provável que você desista dessa idéia. Por um pouquinho de moralismo, sim. Por que mesmo para as pessoas mais liberais o sexo pago é diferente de sexo que você faz sem esperar nada em troca. Por que provavelmente não será tudo tão limpinho quando no cinema. O book não é tão rosa assim. Talvez por medo que seus amigos descubram e te olhem diferente. Cara, talvez você se olhe diferente.

 

Eu vou continuar te vendo como a mulher linda, forte e independente que você é. Talvez me divirta com as suas histórias. Certamente vou me preocupar (na verdade, eu sempre me preocupo, mas como você sabe eu sou assim mesmo). Mas no fim das contas, baby, você é quem sabe.