Fissura

Por xdesexo

Da nossa leitora Ana, para um bom começo de semana.

 

 

***

 

 

Muito tempo depois, um reencontro. Saí do meu quarto para te encontrar, ansiosa demais. Esperava trêmula o elevador que ia me levar até onde você estava. Quando cheguei à recepção, tremia ainda mais, além do frio; olhei em volta, não te vi; saí, olhei, procurei, te vi dentro do carro; você me viu e veio ao meu encontro. Sorriu pra mim. Nos beijamos de leve, abracei você, achei você lindo demais, como eu imaginava. Falei que estava com saudade. Entramos no carro, nos olhamos, nos tocamos, queria tocar seu rosto lindo; nos abraçamos, trocamos beijos leves, deliciosos, que o cinto de segurança permitia. Você colocou o carro em movimento, parou de novo, mais beijos, olhares, carinho. Nunca gostei tanto de sinais fechados.

 

 

 

Chegamos ao quarto, hummm, confirmei minha expectativa, você continua delicioso, adoro beijar você, beijar sua boca, sentir seu hálito perto do meu rosto. Quanta saudade do seu beijo; suas mãos em mim, ainda por cima das roupas… toca as minhas coxas, percebe que já mexeu muito comigo ao sentir que estou completamente molhada, faz um comentário sobre a meia, que termina no alto da coxa. Sinto o pau entumecido por cima da sua calça, pressiono seu quadril de encontro ao meu. Aos poucos nos livramos das roupas, meu vestido tinha muitos botões, não? Dali a pouco nos deitamos, você me pede para afastar a calcinha, para ver, tocar, sentir os beicinhos. Lembrar disso já me deixa acesa novamente.

 

 

Crédito minxteens / suckmypixxxel.tumbrl.com

 

 
Que cena linda: tocar seus cabelos, acarinhar você, enfiado entre minhas coxas, me tocando, me beijando. Você se livra da minha calcinha, e da sua cueca, penso que quero beijar, engolir, sugar você, sugar seu pau delicioso. Você me domina e digo que não sei o que quero fazer primeiro, mas quando você beija minha bucetinha não consigo mais pensar direito. Você beija meus peitos, me pede para passar seu pau na bucetinha, faço isso. Sei que, se você me penetrar, enfiar o pau delicioso dentro de mim, dificilmente conseguiremos parar antes de gozar, muita saudade. Muito tempo esperando por você. Você ergue minhas pernas, beija meus pés, que estão à altura da sua boca, e mais abaixo o pau já está dentro de mim. Você entra e sai lentamente no começo, eu me ergo para te sentir mais e mais.

 

 

A velocidade aumenta, suas estocadas são cada vez mais rápidas, mais intensas, mais fortes e cada vez mais gostosas. Fico te admirando, olho pra você, adoro a cena. O gozo vem rápido… muito, muito, muito bom, gozamos pela primeira vez. Sensação maravilhosa. Quero você! Quero que perca o controle por mim, quero ouvir seus gemidos, quero que diga que adora meter comigo. Quando relaxamos, é bom demais também… Mas já quero você de novo. Algum tempo delicioso se passa entre conversas, beijos, carinhos, você me pede para te massagear as costas. Deito sobre você, mas você sai de baixo de mim e começa a massagear minhas costas, até chegar à minha bunda. Os dedos passeiam em minha bucetinha e voltam para a bunda.

 

 

Sinto certa pressão com os dedos. Penso que vamos fazer de quatro, e eu quero. Você, no entanto, me vira de frente para você e começamos novamente um delicioso vaivém. Novamente gozamos. Um pouco depois a realidade bate à porta, e você está com fome. Adorei conversar contigo, tomar vinho… Você vem me deixar no hotel e percebo que não quero descer. Começamos a nos beijar e novamente o desejo está aflorado. Falo que quero te sugar, te beijar…

 

 

O dia está nascendo e eu estou sugando você dentro do carro. Nova sensação deliciosa, o vinho fazendo um leve efeito, você diz que é hora de ir. Peço, imploro para você me levar, para não me deixar, quero você. Você me leva ao quarto, não planejei, acho que nem você, mas não tinha como te deixar sair. Sei que preciso de água, só que não quero parar de te beijar, tiro meu vestido, tiro sua calça, novamente beijo o seu pau, com a boca seca de desejo, de ansiedade de transar contigo de novo.

 

 

Nem tiramos toda a roupa, você me pede para sentar na sua boca, odebeço. Você me suga, me lambe deliciosamente, me inunda. Sento sobre o seu pau e cavalgo, nossa como eu queria fazer isso. Viro de costas, sinto suas mãos nas minhas costas, sinto você dentro de mim. Gozamos mais uma vez e sei que agora você vai embora. O dia já amanheceu, você me traz água, se veste, me deixa. Fico só, mal deito e adormeço…