Uma fantasia sexual… só na fantasia?

Por xdesexo

Nosso leitor Flávio mandou uma fantasia sexual que sua namorada tem e sempre conta para ele. E, você, qual é a sua fantasia? Conte para a gente. No próximo post, a gente escreve aqui uma fantasia nossa.

 

 

***

 

 

Eu faço uma chamada para a operadora de TV a cabo, pedindo um atendimento em meu apartamento. Chega uma equipe: um técnico experiente e dois técnicos mais jovens em treinamento. Eu os recebo vestindo apenas uma camiseta e uma saia curta, sem sutiã ou calcinha. Enquanto os três examinam o equipamento, eu sento no canto do sofá em frente e fico olhando diretamente para eles. Percebo que eles me olham de vez em quando, discretamente, e começo a me tocar, com uma mão nos seios e outra acariciando a bucetinha.

 

 

Vejo que eles passam a me olhar com mais freqüência, além de trocarem olhares entre si, curiosos com o que estão vendo. Então, sem falar nada, o técnico experiente volta-se diretamente para mim, fica me olhando por alguns instantes e vem ao meu encontro, sem pressa. Quando chega ao sofá, ele ajoelha-se e começa a passar as mãos em minhas pernas, sem deixar de olhar em meus olhos. Delicadamente, mas decidido, ele afasta mais minhas pernas e começa a me chupar, mexendo a língua de forma lenta, mas firme.

 

 

asolitarycomfort:

Christophe Boussamba

Crédito suckmypixxxel.tumbrl.com

 

 

Ao ver o que está acontecendo, um dos aprendizes se encaminha para o lado do sofá e fica me olhando. Volto meu olhar para ele e começo a acariciar seu pau, que já estava duro, por cima da calça. Ele então abre o zíper e coloca o pau pra fora. Eu seguro o cacete dele e começo a chupar, devagarinho, sentindo-o crescer em minha boca. Ele segura minha cabeça e passa a comandar o ritmo do boquete.

 

 

Querendo participar da festinha, o outro aprendiz também se dirige até o sofá, tirando o pau pra fora enquanto andava. Enquanto minha bucetinha fica cada vez mais molhada, pela deliciosa chupada que estava recebendo, eu passo a chupar alternadamente os dois cacetes à minha disposição. O técnico que estava me chupando então se levanta, tira a roupa e afasta um dos aprendizes, de modo a colocar seu pau duro na minha boca. O aprendiz que foi afastado também tira a roupa e passa a esfregar seu cacete na entrada da minha bucetinha.

 

 

Ele me penetra devagar e passa a mexer bem gostoso. Eu continuo a chupar os dois cacetes, enquanto os dois que estão em pé acariciam meus seios e meus cabelos. O técnico experiente ordena ao que estava me comendo para se afastar, manda-o deitar-se no tapete (que era bem felpudo) e me posiciona em cima dele. Sinto o cacete dentro de mim, e começo a mexer, inclinando-me para roçar bem meu clitóris. Sinto então uma mão esfregando saliva em meu cuzinho, e a seguir a gostosa sensação de um dedo, depois dois, dentro do meu anelzinho. Não demora e os dedos são trocados por um cacete, que começa, com cuidado, a invadir-me por trás.

 

 

Olho para trás e vejo que é o técnico experiente que está comendo meu cuzinho, e continuo a mexer, desta vez mais devagar, ajustando meu ritmo ao dele. O outro aprendiz posiciona-se na minha frente, e coloca seu cacete na minha boca, e de novo passa a comandar o boquete, com as mãos na minha cabeça. Os movimentos de entrada e saída no meu cuzinho se aceleram, e eu também acelero a ritmo da penetração na minha bucetinha. Gozo antes dos dois que estão me comendo, mas eles não me deixam parar, apesar de sentirem minhas contrações na bucetinha e no cuzinho, e ouvirem minhas exclamações de prazer.

 

 

Quem goza primeiro é o que está comendo meu cuzinho, e ele interrompe os movimentos por alguns segundos para curtir seu gozo. Mas o que está por baixo põe as mãos na minha bundinha, volta a exigir que eu continue a mexer, enquanto eu continuo a chupar o que está na minha frente. Quando penso que ele está prestes a gozar, ele sai de dentro de mim, afasta o outro que ainda estava com o pau no meu cuzinho e assume seu lugar. Sinto seu cacete bem duro na minha bundinha, em rápidos e intensos movimentos, e ele também goza, colocando ainda mais porra dentro de mim.

 

 

Resta o técnico que eu estava chupando, e eu acelero o boquete, imaginando que ele quer gozar assim. E ele de fato goza, enchendo minha boca de pau e de porra. Ele não me deixa cuspir, e mantém o cacete em minha boca até que eu engula cada gota. Exausta e satisfeita, deito de costas no tapete, e fico olhando enquanto os três vestem as roupas e retomam o trabalho.

 

 

Eles testam o equipamento, e um deles traz um formulário para que eu assine. Depois, deixam meu apartamento sem uma palavra, e eu fico pensando no próximo pedido de atendimento que vou fazer…