Sensações, vontades

Por xdesexo

Da nossa leitora M., para começarmos a nos despedir de 2014… boa noite!

 

 

***

 

 

Boca e mãos percorrem o meu corpo. Já vem aquela sensação do arrepio. Beijos no pescoço, mãos na cintura e descendo. Tanto a boca quanto as mãos. De repente um aperto, ali na cintura mesmo, e já fico molhada. Os lábios estão ali, quase chegando nos seios, mas tornam a subir e se encontram aos meus. Fecho os olhos.

 

 

Crédito suckmypixxxel.tumbrl.com

 

 

Pensando em um milhão de besteiras, mas ainda não me rendo. Resisto. Porque é bom. Porque o gosto do desejo excita. E quanto mais me atiça, mais loucura, empolgação. E então tira a minha blusa e me olha. Também tiro a dele. Já com aquele desejo explodindo, deitar e olhar no fundo dos olhos é entregar a chave do meu corpo em suas mãos. A partir daí, sou inteiramente dele, esperando apenas que as minhas vontades e também as dele sejam totalmente saciadas.

 

 

E começa a me despir. E beija cada milímetro do meu corpo. Os mamilos já estão doendo, precisam de uma língua para se acalmarem. Não demora a acontecer. Sinto sua boca úmida e quente a beijar meus seios, como se o mundo fosse acabar dali a pouco. Tão excitada que sinto escorrer pelas pernas. Não aguento. O ajudo a tirar a roupa e logo me agarro ao corpo dele.

 

 

No meio de beijos longos e lentos, minhas mãos tendem a deslizar barriga abaixo. Não contente com as mãos, minha boca também desce. Até que chego aonde quero. Minha boca saliva. O envolvimento está a mil, escuto a respiração ofegante. O pensamento está em transe, com um milhão de desejos, por exemplo, o desejo de tê-lo dentro de mim.

 

 

Mas a ansiedade é pouca perto da loucura em que me encontro com ele em minha boca. Ele se descontrola e me pega com força, enquanto me deita. Deslizando as mãos pela minha cintura, ele segura minhas coxas com firmeza e abre minhas pernas. Já prevejo e me contorço antes mesmo de perceber o olhar safado, porque leio os pensamentos dele. E então ele vem e deixa louca. Mas, calma, ainda é com a boca.

 

 

Fecho os olhos e mergulho no mar do prazer. Ele sabe exatamente o que está fazendo. De repente para e me olha. Nós dois, ansiosos, já sabemos o que aquele olhar quer dizer. As mãos já se entrelaçaram. Bem devagar, enquanto me beija, já consigo sentir a cabecinha me tocar. Gemi. Um único gemido já deu o recado e ele sabe. E então, sem mais delongas, entrou em mim.

 

 

Enquanto acaricio seu cabelo com uma mão, deslizo as unhas suavemente pelas suas costas e puxo seu corpo com força contra o meu. Estamos ali. Ele está dentro de mim e não há conexão mais intensa e profunda do que isso. Não aguento e me perco nos gemidos, baixinho, no pé do ouvido dele. Gosto de ver sua expressão quando peço mais força.

 

 

No meio de tanto envolvimento começa a chegar aquela sensação aguda. Em meio aos beijos, me toco. E pelo meu toque, sinto que vou gozar. Olho nos olhos dele e percebo que ele também está explodindo. A frase dita no momento certo: “Vem junto comigo”. E pronto, gozamos. Neste momento eu me desligo. Por um minuto eu não consigo pensar em mais nada a não ser naquela explosão.

 

 

Meus sentidos voltam e vejo o rosto dele. Estávamos no mesmo lugar. E então vai saindo devagar. Gemi novamente. A brisa continua em meio a uma conversa meio sem sentido, pois ambos estão anestesiados. Me despeço. Ainda não é o fim.