O dia que mudou nossas vidas

Por xdesexo

História enviada por nosso leitor Juca, bem escrita e de mexer com os nossos (pre)conceitos, para entreter todo mundo. Esperamos que goste.

 

***

 

Por Juca

 

Crédito suckmypixxxel.tumblr.com
Crédito suckmypixxxel.tumblr.com

 

Cris e eu namoramos há quase três anos. Nos conhecemos maduros, depois de casamentos desfeitos e numa fase boa da vida, em que começamos a nos livrar de amarras. Começamos tímidos e fomos aos poucos aumentando a intimidade, experimentando mais e, a cada vez, aumentando o tesão um pelo outro. Quase sempre, eu adotava a posição de trazer novidades, me mostrava mais aberto. Mas ela, que é do signo de gêmeos, normalmente quieta, algumas vezes se tornava ousada.

 

Muitas ideias me passavam pela cabeça. Eu jogava uns verdes, ela pegava alguns, às vezes dava de desentendida. Mas sempre me surpreendia com realizações sensacionais. Lingeries, depilações, lugares inusitados, acessórios –muita coisa boa. No entanto, qualquer conversa que insinuasse mais pessoas por perto ela descartava de modo direto.

 

Um dia, Cris foi convidada para a despedida de solteira da Sil, numa casa tipo clube das mulheres. Sil é uma amiga super liberada sexualmente. Surpreendeu a todos com a notícia do casamento. Fazia parte de um grupo de amigas inseparáveis –se identificavam no Whatsapp como “As cafajestes”– e, dizia a lenda, se divertiam muito por aí. Cris não fazia parte do grupo, mas era amiga das meninas, uma espécie de quinta mosqueteira.

 

De cara, estranhou a ideia, achava que seria como filme pornô ao vivo. Eu coloquei pilha para ela ir, brinquei que todo mundo torce o nariz para pornô, mas acaba querendo dar uma olhadinha. Vá, relaxe e se divirta, curta suas amigas. Ela acabou topando. Bom, para falar a verdade, eu achava que podia ficar interessante pra mim e a convidei para vir à minha casa depois, achei que chegaria inspirada. Inspirada foi pouco. Ela chegou mudada.

 

Chegou tarde, umas duas horas depois do previsto. Entrou, me deu um beijinho e correu para o chuveiro. Tomou um banho, escovou os dentes e bochechou um listerine, incomum pra ela. Saiu enrolada na toalha e só então veio me contar como foi. Estava superexcitada e contou que a Sil surpreendeu a todas. Produziu um show especial com os go go boys. Criou um figurino próprio e chamou um coreógrafo para prepará-los.

 

Música e iluminação especiais, totalmente fora do estereótipo destes shows, moderno, clean. Fiquei imaginando. Contou que os caras dançavam bem perto das meninas, ficavam de sunga rebolando a uns cinco centímetros do rosto delas e, quando davam mole, apalpavam mesmo. Meu sangue foi subindo e perguntei: e você aproveitou também?

 

Fiquei superenvergonhada, respondeu. A mulherada toda do trabalho lá, vai rolar muita fofoca, fiquei na minha, uma das mais comedidas. Só dei umas dançadinhas com um negão atrás de mim e pronto. Uau! Fiquei de cara. Mas Cris não perdeu tempo, foi avançando, me agarrou cheia de vontade e transamos gostoso. Estava, como disse um amigo sobre a mulher que veio do show do Sidney Magal, super cevadinha. Gozou rápido, num papai e mamãe básico, o que não é comum. Geralmente chega lá quando faço um bom trabalho de língua e dedos. Quando terminamos eu estava surpreso.

 

– Nossa, como esse show mexeu com você!

 

Ela ficou vermelha e percebi que continuava excitada. Os bicos dos seios estavam enormes.

 

– Aconteceu mais alguma coisa que você não me contou? Quer contar?

 

Percebi que estava com a língua queimando de vontade de falar, mas em dúvida se devia. Sabe que sou supercurioso e adoro suas histórias, mas parecia que a coisa era forte.

 

– É… teve mais sim. Quando acabou a festa e todo mundo foi embora, Sil pediu que “As cafajestes” e eu saíssemos com ela. Entramos em um carro que ela tinha mandado esperar, demos uma volta no quarteirão e voltamos à casa de shows. Entramos e fomos a um espaço reservado. Havia mais uma hora de show privado, somente oito dos go go boys e nós cinco. Oito para cinco.

 

Eu ouvia gelado. Ela continuou:

 

– Antes de entrarmos, Sil fez que ficássemos todas de lingerie e entregou uns hobbies de seda para usarmos. É a lembrancinha da festa, falou. Dentro do ambiente escuro e pequeno para tantas pessoas, olhou para mim e disse: Eu vi muito bem do que você gostou mais no show, aliás conheço suas taras. Como é a mais tímida, eu vou lhe dar um presente.

 

– Quando ela acabou de falar o rapaz negro já estava atrás de mim. Me pegou de jeito, sem deixar reação, desamarrou o hobby e o escorregou para o chão. Fiquei totalmente em transe, com ele se esfregando em mim, percebi no ato que estava com o pau enorme bem duro empurrando minha bunda. Antes que eu respirasse, outro dançarino veio pela minha frente e me beijou na boca. Um beijo molhado e demorado, eletrizante. Já nem entendia bem o que estava acontecendo, que mãos eram aquelas me tocando, que respirações eram aquelas. Quando consegui abrir os olhos, todas as meninas já estavam atracadas com os caras. Sil no meio de três, chupando um.

 

Eu ouvia mudo, sentindo o corpo gelado. Havia mais:

 

– Transei com os dois. Primeiro um me penetrando e outro acariciando, depois o contrário. Depois eu chupando um e o outro me comendo, e por aí foi. Depois começaram as trocas. Não quis mais ser penetrada, mas chupei mais três. Vários me chuparam, perdi a conta. Sil transou com todos. Eles a carregavam como se fosse uma rainha. As meninas trocavam rápido de parceiros e também se tocavam. Tudo isso em uma hora, o tempo que podíamos ficar naquele bacanal.

 

Você chupou mais caras em uma hora do que em toda a sua vida, balbuciei. Depois fiquei paralisado, não entendia se aquilo era verdade, não queria acreditar no que ouvia. Totalmente zonzo, puto da vida, indignado, sabe lá. Só que de pau duro, muito duro.

 

Cris não hesitou. Falou: Não gozei naquela hora, só quando cheguei aqui. Quero gozar muito mais. Então me devorou. Adorei ser devorado por aquela mulher totalmente fora de si de tesão.

 

Eu, que alimentava fantasias e pensava que aos poucos levaria Cris comigo, fiquei para trás. Ela foi muito à frente e veio me buscar. Me leva a lugares que não podia imaginar. Nossas aventuras são incríveis. Adoro essa mulher que não para de me surpreender.