Prazer entre duas mulheres

Por xdesexo

Recebemos esta história da nossa leitora Alice. Casa bem com o post anterior, sobre sexo oral feminino, objeto de dúvida do nosso leitor Fábio.

 

***

 

 

Sou mulher e me relaciono com uma há alguns anos, no famoso esquema “vai e volta”. Nunca namoramos e talvez isso nunca aconteça, mas nos amamos e nos enlouquecemos de prazer. Há algumas semanas comentei que lia contos eróticos, que adorava. E, depois da nossa última noite de sexo, há uma semana, ela prometeu me escrever um. No dia seguinte, recebi este texto:

 

20131126-160600.jpg

 

“Te olho deitada na minha cama, linda. Sinto cada pelo do meu corpo se arrepiar; mistura de tesão com amor. A gente discute, faz uma palhaçadinha ali, mas bem lá no fundo uma desejando a outra com uma vontade insaciável. Paro para te olhar, outro arrepio. Fico nervosa e tento pensar em outra coisa. Dois segundos, não resisto e te beijo. Coloco a mão no seu peito, passo a língua por ele, e quase que instantaneamente, fico molhada.

 

“Mordo o seu pescoço e sinto a alteração na sua respiração. Penso em parar por ali, mas quando me dou conta sua mão já está na minha calcinha e é impossível não se deixar levar pelo tesão. Sinto seus dedos entrarem e saírem, rodarem em cima do meu clitóris, e começo a gemer devagar. O tesão é tanto que me contorço; você sempre soube me deixar louca. Falo baixo no seu ouvido que sou sua, sinto você desejando que eu seja mesmo… sua respiração aumenta e o ritmo também. Você sobe em mim e sinto a sua buceta encostar na minha, quase gozo.

 

“Te arranho, te bato, passo a mão na sua bunda, aperto seu peito e sinto que vou enlouquecer de tanto prazer. Você para e abre as minhas pernas, enfia dois dedos com vontade e rapidez, acabo gemendo alto demais, sem me importar com mais nada a não ser gozar pra você. Você para, me contraio, e você começa a me chupar. Passa a língua pela minha buceta com toda a calma do mundo, como se quisesse conhecê-la ou reconhecê-la. Morde minha perna, eu solto um gemido, lambe meu clitóris, enfia a língua, lambe ela toda, aperta meu peito e eu já nem sei mais quem sou eu.

 

“Subo e desço com o quadril, enquanto você me chupa com uma vontade absurda. Você sobe e me beija, sinto o meu gosto, quase gozo. Você respira com desejo, puxa meu cabelo, me morde e me chama de gostosa. Coloca a mão na minha buceta e sente tudo molhado, fica com mais tesão e começa a me comer de novo. Enfia o dedo e eu começo a gemer enlouquecidamente. Enfia o dedo cada vez mais rápido e eu digo: “vou gozar”, e você diz: “goza, gostosa”, e enfia mais um dedo. Eu puxo seu cabelo, me contorço e almejo pelo gozo. Menos de dois minutos, solto o: “ahhh..” Você me olha com cara de dever cumprido, e eu te respondo com um: “deita que agora é minha vez”.