Como posso te convencer a usar camisinha?

Por X de Sexo

 

por Ana

Nos prometemos uma a outra que escreveríamos sobre isso. Que seria bom elaborar um pequeno guia com dicas úteis para não estragar o momento, blá blá. Conselhos para que a hora X seja mais um passo prazeroso (e responsável), afinal fazemos isso sempre. Mas os cabeças de latão são poderosos -e numerosos- e a desculpinha de que “é que eu não me dou bem com camisinha” virou hit. Assim, antes de investir meu tempo em convencer os irredutíveis de que têm que usar e acabou, resolvi pedir socorro aos especialistas, aos gênios da manipulação: aos publicitários.

E eles concordam que um bom comercial pode ser tão convincente como uma chupada com sabor de látex. A maioria dos links que estão abaixo foram censurados nos seus respectivos países (continham “pecaminosas” referências de sexo explícito).  Me perdoem, então, pelo atrevimento, mas é pela saúde de todos.

Um dos meus favoritos é francês e até tem uma trilha sonora legal. Alguns falam dele como a publicidade de camisinhas mais geniosa do mundo. Divulgada em 2011, ainda hoje a propaganda é compartilhada em massa nas redes sociais da Europa.

Gostei dele e dela. E, sobretudo, ri. Além do receio geral que vejo nos homens na hora de botar a camisinha -o que não significa que as mulheres façam muita questão de usá-la-, entendi que muitos se empenham em estrangular seu pênis, ignorantes talvez, da quantidade de tamanhos de preservativos que existe no mercado. Os brasileiros têm fama de bem-dotados, eis então um comercial dedicado a vocês.

O terceiro na lista nem precisa descrição. Foi o rei mundial das camisinhas que fez.

Na Austrália, um comercial com um lindo casal loiro como protagonista foi proibido pelo alto conteúdo sexual. Eu não me arrepiei nem um pouquinho, mas é uma mensagem de como o sexo -e o uso da camisinha- deveria ser abordado de uma forma mais natural.

Por último escolhi este. Um cântico à diversidade sexual e ao sexo seguro com independência de como e com quem. É lindo.

Se ainda não se convenceram de que o látex não morde, e não broxa, saibam pelo menos que, sim, tranquiliza que vocês tenham certa consciência, embora todos preferimos transar sem ele.

Me despeço enquanto penso na estratégia da segunda parte deste post.