Quando descobri o “não amor” de um amor

Por X de Sexo

Esse texto abaixo chegou por e-mail, de uma leitora que conta sobre uma experiência de sua vida e nos tocou. Chegou após o post “Os não amores“.

 

Quem quiser escrever, contar uma história, já sabe, guardamos seu nome se preferir o anonimato: blogxdesexo@gmail.com

 

***

 

por Clara

 

Crédito: suckmypixxxel.tumblr.com
Crédito: suckmypixxxel.tumblr.com

 

Ana,

 

Achei que valeria vir aqui e falar, afinal, sem saber, você já entrou na minha história, na minha análise, no meu relacionamento.

 

No dia 19, em uma tarde pouco produtiva de trabalho, vagando pela minha página do Facebook, encontrei um post da Folha direcionando para o texto “Os ‘não amores'”. Por um segundo me identifiquei, cliquei e li, pensando que aquilo refletia os meus ‘não amores’ e me fez retomar histórias, sensações e boas lembranças. Li sorrindo. Me fez me sentir humana, inteira e por que não normal, ao ver que outros também tem seus não amores. Muito bem, retomando essa parte da minha vida essas lembranças ficaram acesas aqui.

 

Essa semana, por uma série da fatos, descobri que meu noivo (não curto a palavra, mas traz o “peso” necessário) estava tendo um novo amor. Dilacera por dentro, dói e está doendo. Poxa, 6 anos de um relacionamento super equilibrado, cheio de trocas e respeito e pá! Uma paulada na cabeça…

 

Fui entendendo nas conversas doídas (e no acesso de loucura, invasão e auto destruição que me levou a ler os 200 emails trocados por eles) que se tratava de um “não amor”, que ele se confundiu, se perdeu na história, no frio na barriga, no novo e no leve que traz um “não amor”. Dói, tá doendo… Mas lembrei do texto, lembrei dos meus “não amores”, um nesse relacionamento e outro de um passado mais distante, e me lembrei que me senti humana. Se eu me senti humana, é humano pra todos então… É pra ele também.

 

O problema é quando o “não amor” vem à tona, e se mistura na história do outro, foi o que aconteceu aqui, e é com o que eu vou tentar lidar e encontrar um caminho, agora não dá, agora dói, mas uma hora resolve.

 

A consequência da leitura do texto então foi separar e entender no meio disso tudo que o “não amor” também faz parte, faz parte da vida, faz parte dos relacionamentos e entender e ter consciência disso é essencial, acho que vai me fazer passar por isso de uma forma mais fácil.

 

Então, obrigada pelo texto, numa hora tão certa da minha vida.