X de Sexo

A cama é de todos

 -

Blog fala de sexo a partir de histórias do dia a dia, narra experiências reais e conta com a colaboração de leitores. É produzido de forma anônima.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

O prazer do sexo em público

Por X de Sexo

O relato de um leitor nos leva a um tema polêmico: o dogging. A prática pode ser resumida no prazer de fazer sexo em público, em locais normalmente isolados em que voyers (os que gostam de olhar) são a plateia especial… Você tem vontade ou já experimentou, querido leitor e querida leitora?

 

***

por Peter

 

Somos casados há 20 anos e há 3 curtimos o sexo liberal. No início frequentávamos swing clubs e depois passamos a nos exibir em doggings. E nossas carícias em público em bares e casas noturnas passaram a ser mais ousadas.

 

Crédito: suckmypixxxel.tumblr.com/post/69561282270
Crédito: suckmypixxxel.tumblr.com/post/69561282270

 

Além disso, as roupas dela denunciam nossa opção sexual, pois, apesar de bom gosto, são curtas, coladas e transparentes. Além disso, raramente ela sai usando lingerie.

 

Com pouco mais de 40 anos, Mary é uma linda loira sexy, que atrai olhares desejosos de homens e mulheres.

 

Há 2 anos conhecemos doggings famosos em São Paulo, nos quais curtimos nos exibir aos voyeurs.

 

No da avenida 23 de Maio, acabamos conhecendo um dogger que é o macho alfa do local.

 

Mantemos aqui seu nome e apelido no anonimato por questões éticas. É um homem bem aparentado, casado e dotado, cuja cabeça do pênis deixa Mary alucinada.

 

Quando ela o abocanha, não há quem tire. Além disso é grosso na base e sempre que a penetra, arranca gemidos de prazer e até certo incômodo, pelo preenchimento total de seu sexo pelo membro dele, mas que a deixa extasiada de prazer tão logo ela molhe ou ele “chore” gotas de sêmen antes de colocar a camisinha.

 

Temos aumentado cada vez mais nossas incursões ao dogging e o macho alfa tornou-se seu amante.

 

Toda vez que o apanhamos, ela já pula para o banco de trás do carro e vão namorando até o hotelzinho que fica quase em frente ao aeroporto de Congonhas. O trajeto é digno de filme pornô erótico chique, eu definiria.

 

Entre beijos, amassos, malhos, chupadas e 69, percebe-se uma tara animal de ambas as partes: ela, fêmea excitada e liberada pelo marido que assiste pelo retrovisor enquanto dirige, entrega-se ao seu tosco amante.

 

Por outro lado, o amante derrete-se ante ao tesão da linda loira casada e a penetra com estocadas violentas que a fazem gritar e gemer.

 

Mas antes das penetrações, destacam-se as preliminares que o tarado faz em minha deusa: o macho a suga com vontade, a lambe deixando o grelo duro e a xana melada facilmente, além de mamadas nos seios naturais e com imensos mamilos que ficam arrepiados.

 

Isso sem contar os beijos, escandalosos, de língua, melados e chupados com tesão mútuo.

 

Se o marido sente ciúme ? Ele sente tesão, afinal ser voyeur de sua própria mulher é algo sem explicação, que só existe no sexo cúmplice e maduro. Sexo de quem ama.

Blogs da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade