X de Sexo

A cama é de todos

 -

Blog fala de sexo a partir de histórias do dia a dia, narra experiências reais e conta com a colaboração de leitores. É produzido de forma anônima.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais um banho com ele

Por X de Sexo

por Lia

 

Sim, todo lugar pode ser um bom lugar. Qualquer hora vale. Banheiros públicos (um post futuro, esperem!), festas, carro. Qualquer lugar do mundo. Mas o chuveiro é, na minha opinião, o melhor lugar para se masturbar sozinha. Confesso que não sei se isso também vale para eles, mas para a maioria delas, certeza. Não é muito sustentável, vá lá, haja água. E fazer isso depois de um sonho bom, ainda mais se acorda sem ninguém ao lado, a vontade duplica. Então, voilà!

 

Aquela manhã não era a primeira que eu acordava molhada e com tesão, triste que não era verdade, de tão real que pareceu o sonho.

 

Suspirando e molhada, eu apertava uma coxa contra a outra. Respirava fundo. Me descobri do lençol e fiquei no vento do ventilador, para esfriar, mas continuei relembrando o sonho, cena por cena, milimetricamente de tão bom que foi.

 

Foi quando resolvi partir para um banho comprido.

 

floresdalis.tumblr.com
Crédito: floresdalis.tumblr.com

 

A capacidade do meu cérebro e do meu corpo e do meu prazer com o sexo dele, o cara com quem saía havia alguns meses, me faziam gozar tanto e de forma tão louca e simples. Pensar nele me segurando e respirando do seu jeito no meu ouvido. Há poucos caras com tal capacidade. De me fazer pensar em sexo única e exclusivamente com ele.

 

Embaixo do chuveiro, comecei passando as pontinhas dos dedos no meu peito e depois as pontas dos dedos na virilha e no meio e no alto entre as pernas, onde já estava inchada.

 

Com chuveiro ligado, primeiro.  Depois coloquei no chuveiro menor (como bem já descreveu tantos e, que me lembre recentemente, Xico Sá, aliás). Aquela água forte do chuveirinho dá um prazer amortecedor no corpo, no peito, na barriga, na virilha…. Em minutos eu estava me mordendo de gozar.

 

Estava encostada na parede, de costas no frio. Quando comecei a quase gozar de novo, ficaram só os ombros, ora apenas a cabeça, o resto do corpo tremia de levinho e desencostava sozinho, com o quadril mais à frente ainda, arrebitado, como se quisesse chegar ao jato de água, que afastava e aproximava como um controle remoto.

 

Parei meio segundo e continuei pensando no último dia de sexo matador com ele, em que eu sentava de costas repetidas vezes, pra gozar de novo com a água caindo ao lado do corpo. Gozei por tempo que não sei contar, em ondas que eram quase choques, e continuava pensando no jeito dele de me olhar pra gozar mais, na espiral que nos fazemos acontecer tão bem.

 

Depois, quando começava a relaxar, passei o dedo dentro e em volta para sentir o quanto ficara quente e o quanto tinha de gozo em mim. E pensava mais em como queria a mão dele passando ali e os dedos dele levando aquele tesão para outro lugar.

 

Mais um respiro, e… Meu cérebro praticamente fez ele se teletransportar para o meu banheiro. Não conseguia parar de pensar no quanto era bom ser comida de pé por ele, suando e gemendo. E pedindo que eu descreva como estou.

 

Comecei a gozar pela terceira vez, os joelhos dobravam um pouco, porque o corpo todo se contraía. A barriga soluçava, o abdômen apertava, os músculos todos. Depois daquilo, enquanto o orgasmo se espalhava, o quadril se movimentava para a frente, as pernas esticavam, o peito se estufava, e eu gemi baixinho, um aaaa com a boca meio apertada.

 

Aí o coração disparado me fez parar, eu realmente tive medo de desmaiar. Suada, mesmo embaixo da água, meu corpo conseguia sentir ele atrás de mim. E eu pensava quando sentiria aquilo de fato de novo. Nós mulheres somos boas no banho.

 

Para nos escrever, contar suas histórias e contribuir com o blog, estamos sempre aqui: blogxdesexo@gmail.com

Blogs da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade